Com o passar dos anos nosso corpo vai sofrendo inúmeras mudanças, vamos ficando mais fracos, mais vulneráveis a doenças e propícios a diversos tipos de situações, dessa forma o desejo sexual vai caindo drasticamente fazendo com que ambos percam o desejo por praticar o sexo. Embora não há relatos específicos e comprovados que o ser humano tem uma idade prevista para parar de fazer sexo, isso é mito, existem pessoas que conseguem praticar o sexo até o fim de sua vida.

Afim de mostrar e incentivar as pessoas da terceira idade trazemos esse artigo para que possa despertar o interesse e o desejo sexual daqueles que acreditam que ainda podem sim ter uma vida sexual  mais equilibrada e para aqueles que já desistiram fica uma dica “ainda há esperança” basta unicamente e exclusivamente de você.

 

 

Mudanças na atividade sexual

 

Com o passar dos anos, as mudanças no corpo podem intervir no aspecto sexual, social e psicológico da pessoa idosa. Por isso, é preciso entender as transformações que fazem parte do processo de envelhecimento, como a diminuição natural na resposta aos estímulos sexuais.

Nos homens, reduz a produção de espermatozóides e testosterona após os 40 anos. Nas mulheres, existe a redução de hormônios durante a menopausa. As modificações no corpo podem intervir no aspecto sexual, social e psicológico da pessoa idosa.

De acordo com Helena Cerveira, há formas de amenizar essas mudanças fisiológicas. “Por exemplo, a pele geralmente fica mais fina e mais seca. Então, o uso do lubrificante é muito benéfico, principalmente para as mulheres idosas que acabam tendo ressecamento vaginal, o que pode até machucar. Além disso, o preservativo feminino ajuda na questão do empoderamento da mulher idosa e auxilia na diminuição do medo de perder ereção, frequente nessa idade, já que a camisinha feminina pode ser colocada antes do ato sexual”, orienta.

Além disso, é importante compreender que a sexualidade não se resume ao ato sexual. “Quando se fala de sexualidade, precisamos entender que ela não se restringe ao ato sexual em si, mas também compreende o tom de voz, beijo, toque, cheiro, entre outras coisas. É plenamente possível que a pessoa idosa, como qualquer outro ser humano, vivencie a sexualidade como uma importante dimensão da sua vida”, ressalta Helena Cerveira.

A cartilha do idoso explica que é importante manter hábitos saudáveis e fazer exames para saber como está a sua saúde. Muitas vezes, o desempenho sexual pode estar relacionado a algum problema de saúde, como diabetes, colesterol alto, fumo, álcool, menopausa e uso de alguns medicamentos. A cartilha também alerta sobre o uso de medicamentos que prometem melhorar o desempenho sexual. Todo medicamento só deve ser usado sob orientação médica.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *